domingo, 21 de outubro de 2012

20 VOLTAS NO DIQUE DO TORORÓ (52 KM)

Escultura de Orixás, Obra do Artista Plástico Tatti Moreno

Dando prosseguimento aos treinos para as 24h de Campinas, neste domingo fizemos mais um treino em circuito, e desta vez o local escolhido foi o Dique do Tororó.

O Dique é uma construção dos holandeses que habitaram Salvador a partir de 1624 e esteve por décadas abandonado, mas que em 1988 foi alvo de uma reurbanização que o transformou num dos mais belos cartões-postais da cidade.

Além da lagoa, o local tem raias para a prática de remo, deques para a pesca, piers para pequenas embarcações, um palco flutuante para a realização de shows, equipamentos de esporte e ginástica, playgrounds e, claro, o que mais nos interessa neste momento, uma pista de corrida com 2.600 metros de extensão.

Para o treino de hoje, apenas eu e Pataro faríamos as vinte voltas, não obstante espalhamos convites para que os amigos aparecessem por lá ainda que fosse para uma volta apenas.

Pataro, Ângela e eu
Por volta das 4:30, junto com Ângela (que foi para 10 voltas), já estávamos arrumando nosso arsenal hídrico (uma parte foi deixada ao lado da pista e outra no carro), que consistia em 07 litros de água congelada em saquinhos plásticos, 03 litros de maltodextrina e 03 coca-colas pequenas e, antes das 5:00, demos início a brincadeira.

O trânsito no entorno costuma ser fechado aos domingos para que as famílias possam desfrutar melhor ainda do espaço, mas ainda estava muito cedo.


As primeiras horas foram de total tranquilidade, de vez em quando passava algum corredor conhecido a caminho de Ondina, onde iria acontecer a Corrida da ASA, quando de repente o Dique começou a ser tomado por um batalhão de mulheres vestidas de rosa.

No intuito de conscientizar a população sobre o câncer de mama, o Movimento Outubro Rosa, que tem o objetivo de chamar a atenção das mulheres sobre a necessidade da realização do autoexame e da mamografia, iria realizar ali uma passeata.

Quando começaram a chegar os ambulantes, uma senhora armou sua barraca bem próximo ao local onde estávamos deixando nossas sacolas e isso nos deixou ainda mais tranquilos para continuar nossas passadas.

Do meio da galera do Outubro Rosa surgiu travestido de fotógrafo o amigo Samuel que, ao mesmo tempo que fazia uns registros nossos, foi logo esclarecendo que não viera para correr – outra causa o trouxera ali.



Vitório também apareceu por lá, justamente na hora em que Ângela completava suas dez voltas (26km) e ia nos deixar. Ficamos animados com a presença do novo integrante, mas como ele já estava vindo de longe ficou conosco (Pataro e eu) apenas até completarmos aquela volta.


Quando íamos iniciar nossa 13ª volta, finalmente chegou Gil (outro que também está treinando para as 24h de Campinas), acompanhado de sua esposa. A chuva que já havia caído ali no Dique estava mais forte em outros cantos da cidade e atrapalhara bastante sua viagem até o Tororó.


Aliás essa chuva já havia provocado mudanças nos planos desta manhã. Por sua causa ligara para a “tia Lalá” avisando que era melhor desistir da ideia de acordar os filhotes (Rafa e Luan) para trazê-los para brincar no Dique. Ainda bem que no dia anterior aproveitamos bastante o sol em Praia do Forte...

Praia do Forte no sábado
Na 17ª volta aconteceu algo bem engraçado (senta que lá vem estória...):
Um senhor, puxando outro pelo braço, dirigiu-se ao meu encontro e de uma forma meio aflita, provavelmente temendo atrapalhar nossa corrida, perguntou:
- “Quantas voltas? Quantas voltas?”
Meio confuso com a volta em que estávamos, recorri a Pataro e após breve conferência respondemos em uníssono: 17 voltas.
PQP! espantado, exclamou o senhor, enquanto seus olhos pareciam dizer ao amigo atado a ele: “eu não disse? eu não disse?”.

Angelina virando para procurar o capacete que caiu
 Outra que se espantou com o tempo que passamos por lá hoje foi a atleta cadeirante Angelina. Reencontramo-la exatamente em meio à vigésima volta e, embora retornasse da Corrida da Asa com um troféu a tira-colo, vinha bastante chateada com o fato de ter concorrido com homens naquela prova.

Fechando a vigésima volta
Concluída a vigésima volta, despedindo-nos de Gil que ainda faria mais 03 voltas para completar 10, Pataro e eu demos por encerrado nosso treino (52 km em 5h22 – tempo bruto) e voei para casa.


Boa semana!


Adicionar legenda












7 comentários:

  1. Você é D+ meu caro Roberto! 52 km, 20 voltas no dique!!! PQP. Parabéns. O relato está ótimo. Maravilha. Um abraço.

    ResponderExcluir
  2. kkkkkkkkkkk
    Junto com amigos (Pataro 20, Ângela 10, Gil, 7 e Vitório 1) fica bem mais fácil.
    Valeu, Amâncio.

    ResponderExcluir
  3. Maravilhoso nosso treino, Ultra!
    Belo relato e que possamos fazer mais treinos desse com mais amigos!
    Até o proxímo longão.
    Um abraço!
    Pataro

    ResponderExcluir
  4. Olá!!!
    20 voltas no Dique muito bom,parabéns.
    abraço

    ResponderExcluir
  5. Pataro,
    Treinar com você é sempre garantia de alegria. Acho inclusive que esse é o grande diferencial nas corridas longas... não ficar tão fixado em terminar logo e realmente ir curtindo o desenrolar do treino, o caminho, as estórias, as piadas de nós mesmos,etc...
    Abraços!

    ResponderExcluir
  6. Que lindo! Hoje completei minha primeira volta, foi emocionante pq quando estava no quadro de obesidade, correr era algo impossível. Vcs me inspiram a tentar me superar mais e mais. Parabéns!

    ResponderExcluir
  7. Galera, fiz uma apostar valendo 200 reais. Para dar 6 voltas no dique do Tororó. Wellington Guerra.

    ResponderExcluir